segunda-feira, 16 de março de 2009

CARLOS ALEXANDRE-EM - FOCO - SAUDADES


O cantor nasceu em Nova Cruz, Rio Grande do Norte. Autor e intérprete de muitos sucessos, nasceu no dia 01 de junho de 1957. Na fase adulta passou a morar em Natal, onde iniciou a carreira de músico e conheceu o DJ Carlos Alberto de Sousa (outro que merece uma biografia, pelo muito que fez pela música popular), maior incentivador da sua carreira. Carlos Alberto, anos mais tarde tornou-se produtor do cantor e o levou para São Paulo, onde foi apresentado aos produtores da gravadora RGE. Nos estúdios da gravadora paulista gravou em 1978, seu primeiro compacto com as músicas “Arma de Vingança” (parceria com Carlos Alberto) e “Canção do Paralítico” (parceria com Osvaldo Garcia). A aceitação do público foi imediata, a música passou a ser executada nas rádios, obtendo vendagem superior a 100 mil cópias, fazendo com que a gravadora gravasse no mesmo ano, o primeiro LP de Carlos Alexandre com o sugestivo título de “Feiticeira” (parceria com Osvaldo Garcia), nome de uma das músicas do disco que também foi gravado em castelhano. A experiência do cantor potiguar resultou na explosão da música “Feiticeira”, disparada nas rádios de norte a sul do país, levando o público a comprar mais de 250 mil cópias do LP.É quase impossível alguém dizer que nunca ouviu uma música do repertório de Carlos Alexandre, inúmeros sucessos ganharam destaque na mídia. Além de “Feiticeira”, teve “A Ciganinha” (parceria com Aarão Bernardo), “Índia” (parceria com Carlos Alberto), “Final de Semana” (parceria com Maurílio Costa), “Já Troquei Você Por Outra”, de sua autoria, e outras dezenas de sucessos. O maior incentivo ao sucesso o cantor receberia ao participar da promoção Cantor Mascarado, da Buzina do Chacrinha. Carlos Alexandre ficou várias semanas cantando “Feiticeira” com o rosto encoberto. Chacrinha distribuía prêmios para quem acertasse o nome do cantor mascarado.Durante pouco mais de dez anos de carreira, o sucesso foi o mais fiel parceiro de Carlos Alexandre. Seguindo na linha de Evaldo Braga, o cantor inseria sentimentos de traição, vingança e revolta nas letras das músicas que cantava, todos moldados por uma interpretação dramática peculiar. Aos que lhe criticavam, chamando-o de cafona e apelativo, Carlos Alexandre respondia apresentando o aval do povo “Acho que as pessoas que dizem isto é que são cafonas. Dizem que meu estilo é cafona só porque atinjo o povão. Mas não me importo. O mais importante é que todo disco que faço é sucesso e o povo compreende.” E compreendia mesmo, pois em três anos de carreira já havia vendido 500 mil cópias dos quatro LPs gravados até julho de 1982. “Assumi um compromisso com o público e sei que não vou decepcioná-lo. Desde meu primeiro disco, em 1979, que venho procurando atingir um número maior de pessoas, através da música. Pela aceitação demonstrada, acho que consegui este objetivo.” Como cantor, compreendeu muito cedo o poder que a música exercia sobre as pessoas, principalmente sobre o seu público, que anualmente surgia em maior quantidade, cada vez mais proveniente das camadas pobres da sociedade.Quando lançou o LP Revelação de Um Sonho, em 1982, o quinto da carreira, Carlos Alexandre homenageou Evaldo Braga, outro ídolo popular, morto num acidente automobilístico no auge da carreira, em 1973. Ironicamente, o próprio Carlos Alexandre morreria também de desastre automobilístico, sete anos depois de homenagear Evaldo. O LP foi um dos discos mais vendidos daquele ano e reascendeu a saudade dos fãs de Evaldo. Na ocasião, Carlos Alexandre explicou para a repórter Ângela Toledo, da revista Sétimo Céu, o porque da homenagem: “Como Evaldo Braga estava muito esquecido, me propus a fazer um trabalho para reabilitar sua memória, e depois porque sempre me identifiquei com o que ele cantava.”Apoiando a idéia de Solange, esposa e parceira em composições _que queria homenagear um afilhado do casal_ foi que Pedrinho (nome que o artista usava no começo da carreira, com o qual assinou Caixa Vazia, música gravada em 1975 pelo cantor potiguar Ruan Carlos) adotou o nome Carlos Alexandre. Quando o filho do casal nasceu, recebeu o nome de Carlos Alexandre Junior, que tinha sete anos quando o pai faleceu.ENCONTRO COM A MORTE NA ESTRADA AOS 32 ANOSA vida do cantor foi cortada por um fatal acidente automobilístico quando retornava de um show na cidade de Pesqueira, em Pernambuco, em 30 de janeiro de 1989. Sua discografia está registrada em mais de 200 composições gravadas em 3 compactos, 14 LPs, sendo 2 LPs e 4 CDs pós-morte. Pelo muito sucesso que fez, Carlos Alexandre recebeu em vida, 15 discos de ouro. Artistas como Bartô Galeno e Gilliard, gravaram músicas do cantor .
JR SOARES E KATIENE

10 comentários:

  1. É muito triste ver que pessoas tão boas partiram de forma tão trágica.mas continuamos orando por ele e revivendo seus sucessos.

    ResponderExcluir
  2. este cantor maravilhoso chamado Carlos Alexandre. para mim é um ídolo dos anos 80's. com suas musicas maravilhosas, eu sempre ficava assistindo-o no programa do nosso maior apresentador o Chacrinha. um abração a este maravilhoso artista do Bruno Tavares o motoboy do G1 da Globo e no Orkut o motoboy do amor.

    ResponderExcluir
  3. silvio felix cidade de deus pernambuco26 de maio de 2010 22:10

    a musica se voce fosse por me feis parte da minha vida

    ResponderExcluir
  4. Eu neste momento estou ouvindo as musicas do nosso CARLOS ALEXANDRE, pk eu crescir ouvindo elas, e na minha adolescencia fizeram me até chorar muitas vezes por lembrar de namorados que eu tinha na época, e foi um cantor que nao merecia ter tido o fim que teve, mas felizmente Deus sabe o que faz, que Deus o tenha a seu lado,Carlos Alexandre tu foste muito especial na minha vida.

    ResponderExcluir
  5. Marcos
    que saudade desse tempo eu era criança quando escultava essas musicas na casa da meu tio
    pena que hoje nao temos mas musicas porque o que
    estao cantando hoje é um pinico cheio de merda
    eu acho que a familia dele deveria divuga mas o trabalho dele pos são musicas inesquecivel

    ResponderExcluir
  6. fiquei muito triste quando sube da morte do cantor carlos alexandre eu lembro bem q morava na cidade de itabaiana pb

    ResponderExcluir
  7. para mim o melhor cantor que o brazil teve e ponto final foi a sorte do grande roberto carlos.

    ResponderExcluir
  8. é carlos alexandre ele pra mim é eterno

    ResponderExcluir
  9. Pra mim sempre foi, é e será meu eterno ídolo, bem como de minha mãe.
    Sebastião de Fortaleza no ceará

    ResponderExcluir
  10. http://www.youtube.com/watch?v=cFXXqn2xv2s&feature=player_detailpage

    ResponderExcluir